20 Fevereiro 2011 - 18:40

Liédson marca um belo gol e ajuda o Corinthians a vencer o Santos

AE
Fábio Santos faz o primeiro gol do Timão, numa bela cobrança de falta

Jogando com raça, obediência tática e, principalmente, em homenagem a Ronaldo, o Corinthians venceu o Santos por 3 a 1 no clássico disputado na tarde deste domingo, no Pacaembu, em partida válida pela nona rodada do Campeonato Paulista.

Além de vencer o rival e ser agora o único time invicto na competição, o Corinthians chegou aos 19 pontos, assumindo a segunda posição, somente um ponto atrás do Palmeiras, completando a festa realizada para Ronaldo Fenômeno, que recebeu uma placa comemorativa momentos antes do clássico. "Quero agradecer essa experiência única que tive em minha vida que foi conhecer e vestir a camisa do Corinthians e dizer que sou mais um louco neste bando de loucos", disse o ex-jogador.

Já o Santos começa a sentir a pressão, principalmente o técnico Adílson Batista, pela estreia ruim na Libertadores e a derrota no clássico. Com 18 pontos, o time praiano caiu para a quarta colocação no Paulistão. Neymar, que fez seu primeiro jogo no Brasil neste ano, demonstra sinais de cansaço pela campanha estafante no sul-americano Sub-20.

Independente do cansaço da estrela santista, a equipe do técnico Tite foi melhor durante todo o jogo. As saídas e Danilo e Ramirez para as entradas de Paulinho e Dentinho surtiram efeito. Mas o trunfo estava na lateral-esquerda.

Fábio Santos, que luta com Marcelo Oliveira pela posição deixada por Roberto Carlos, deu início à vitória corintiana. Aos 23, o jogador cobrou falta com perfeição para vencer o goleiro Rafael, marcando um golaço.

Atordoado com o gol sofrido, o Santos não era sombra do time que iniciou a temporada com boas apresentações. A decisão de Adílson Batista em dar chances para Róbson e Diogo, preterindo Maikon Leite e Zé Eduardo, fez com que a equipe fosse facilmente marcada, com Elano sobrecarregado na tentativa de municiar o ataque.

Mesmo assim, o meia santista tratou de dar um alento ao time ainda na primeira etapa. Aos 41, Elano encontrou um pequeno espaço para chutar firme e marcar o segundo golaço do clássico. 1 a 1 e a expectativa de uma virada. "A gente conseguiu empatar. Agora vamos virar", disse Robson.

E, nos primeiros minutos do segundo tempo, parecia que o Santos conseguiria a virada. Elano teve ótima chance aos cinco minutos, mas Júlio César fez boa defesa. A falha na marcação no Santos pelas laterais era nítida, e Dentinho se aproveitou disso. Aos 15, o atacante partiu para cima e foi derrubado na área por Danilo. Pênalti que Fábio Santos - herói inesperado na festa de despedida de Ronaldo - cobrou com perfeição para recolocar o Corinthians à frente.

Já na base do desespero, Adílson Batista optou por deixar de lado o sistema tentado, colocando Adriano, Maikon Leite e Zé Eduardo. Mas o dia era corintiano. Ciente das intenções do técnico adversário, Tite reconfigurou a marcação do Corinthians, que passou a explorar os contra-ataques de maneira efetiva, fechando o placar aos 42 minutos, com Liedson, que deu um providencial toque por cima do goleiro Rafael, marcando seu quinto gol em quatro jogos, e, assim, decretando mais boa vitória corintiana.

Ficha Técnica

CORINTHIANS - 3 - Júlio César; Alessandro, Wallace, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Morais (Ramirez); Dentinho (Bruno César), Jorge Henrique e Liedson. Técnico - Tite.

SANTOS - 1 - Rafael; Danilo (Zé Eduardo), Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Possebon (Adriano), Elano e Robson (Maikon Leite); Neymar e Diogo. Técnico - Adílson Batista.

Gols - Fábio Santos, aos 23; Elano, aos 41 minutos do primeiro tempo; Fábio Santos, aos 16 e Liedson, aos 42 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Ralf, Wallace, Arouca, Elano, Edu Dracena e Possebon.

Árbitro - Raphael Claus (SP).

Renda - R$ 577.548,50. Público - 21.203 total.

Local - Pacaembu, em São Paulo (SP).

por Robson Lessa | estadão.com.br

Comentários comentar agora ❯