15 Setembro 2017 - 16:18

Um dos atletas que representaria Penedo na Bolívia não consegue embarcar para participar de campeonato de fisiculturismo

Arquivo pessoal
Atleta penedense é campeão Norte/Nordeste na categoria “Class 01"

Foram aproximadamente 10 meses de muita preparação e dedicação. Tudo isso para representar da melhor forma possível o município de Penedo no Campeonato Sul-Americano de Fisiculturismo, evento que reunirá atletas do mundo todo em Cochabamba, na Bolívia. No entanto, apesar de todo esforço, Eric Alves não conseguiu embarcar e teve que, infelizmente, ver seu sonho ser adiado.

Em contato com nossa redação, o atleta penedense, que é campeão Norte/Nordeste na categoria “Class 01”, falou do drama vivido por ele nesses últimos dias e de como tem se sentido por não conseguir representar Penedo ao lado do seu companheiro de esporte Erivan Sacramento, que já se encontra na Bolívia, pronto para participar da competição.

De acordo com Eric Alves, graças ao apoio de alguns parceiros, ele conseguiu na última quarta-feira, 13, arrumar as malas e seguir viagem, de ônibus, para Recife, para que de lá pudesse pegar um voo em direção a Guarulhos, onde estava marcado seu outro voo para a Bolívia.

“Cheguei em Recife dentro do horário previsto, consegui pegar o voo e cheguei em Guarulhos, no estado de São Paulo. Até então tudo estava transcorrendo dentro da normalidade. O meu pesadelo começou quando fui fazer o check-in no aeroporto. Ao apresentar a passagem, a responsável pelo setor pediu uma documentação com foto, eu dei minha CNH e ela pediu a identidade, dizendo que a CNH não servia para viagem internacional. Então eu comecei a procurar minha carteira e para meu desespero percebi que tinha a perdido, com todos os outros meus documentos”, explicou Alves, ainda muito abalado.

O atleta explicou ainda que mesmo em estado de choque e provando que sua viagem era para participar de uma importante competição, ele não conseguiu autorização para embarcar e foi orientado a procurar o Poupatempo, que é um programa do Governo de São Paulo que tem como foco prestar serviços aos cidadãos, funcionando, principalmente, como Instituto de Identificação.

“Além do Poupatempo fui também na Polícia Federal, que fica no mesmo prédio. Expliquei toda situação, contei toda história, chorei muito, mas não teve jeito. Para a nova identidade eu precisava da certidão de casamento e para fazer um passaporte emergencial teria que ter em mãos todos os documentos originais inclusive minha reservista. Entrei em desespero e voltei para o aeroporto. A moça da agência não conseguiu transferir meu voo e eu fiquei no aeroporto, sem ter o que fazer, nem para onde ir”, complementou o atleta.

Erick Alves acredita que perdeu seus documentos em um táxi que pegou para se deslocar ao aeroporto. “Meu sonho e minha preparação de 10 meses dando sequência para a tão sonhada vaga para esse Sul-americano foi por água abaixo. Estou muito triste e tentando entender o porquê de tudo isso. Meu sonho acabou. Peço que me compreendam e me desculpem se não foi dessa vez. Agradeço de coração a todos que estavam na torcida, a meus patrocinadores, em especial a Prefeitura de Penedo, e principalmente, a meus familiares e amigos por todo apoio antes e agora, após esse triste acontecimento”, acrescentou o atleta com a voz embargada.

Os penedenses torcem para que Erick Alves possa o mais rápido possível superar esse trauma para que muito em breve possa voltar a representar Penedo com a eficiência de sempre. “O sonho não acabou!”
 

por Redação

Comentários comentar agora ❯