14 Dezembro 2017 - 01:12

Flamengo decepciona mais uma vez sua imensa torcida

Divulgação

Ontem, num maracanã lotado, o rubro negro carioca, decepciona sua imensa e apaixonada torcida, que lotou as dependências do estádio Jornalista Mário Filho, e deu apoio ao time, havendo inclusive, invasão por parte de alguns “torcedores” sem ingressos.

O Jogo

O Flamengo começou o jogo de forma avassaladora, indo pra cima do Independiente, com uma marcação alta, no campo de defesa do adversário, forçando ao erro. O técnico rubro negro, ousou na escalação, sacando o badalado Everton Ribeiro, colocando Everton, aberto pela esquerda e o jovem Lucas Paquetá, pela direita, deixando outro prata da casa, o centroavante Felipe Vizeu, no meio. Isso surpreendeu o time Argentino, vez que ele não conseguia desenvolver jogadas pelas laterais, o seu ponto forte, muito utilizado no primeiro jogo na Argentina, vencido pelos “Hermanos”, o que lhe deu a vantagem de jogar pelo empate no Rio de Janeiro.

O Flamengo teve uma grande chance, aos 12 minutos, numa bela enfiada de bola do avante Felipe Vizeu, deixando Everton que entrou em diagonal, na cara do gol, obrigando o goleiro Campaña a fazer grande intervenção. O Flamengo continuou pressionando e aos 29 minutos, numa jogada de bola de bola parada, numa falta lateral, a bola foi alçada na área e numa jogada que teve a participação dos dois zagueiros flamenguistas, a bola sobrou para o jovem atacante Lucas Paquetá, que de perna esquerda balançou a rede argentina, fazendo a massa rubro negra ir ao delírio.

O resultado já garantia, no mínimo uma prorrogação para o time carioca. Mais a alegria durou pouco, sete minutos depois, num lance aparentemente sem muito perigo, já que tratava-se de uma investida pela lateral da área, o volante colombiano Cuellar, derrubou o bom jogador argentino Meza, sem pestanejar, o árbitro colombiano Wilmar Roldan apontou a marca da cal. A marcação da penalidade gerou muita reclamação por parte dos jogadores rubro negros, o que ensejou o árbitro a solicitar o auxílio do árbitro de vídeo, que confirmou a infração.

O jovem e excelente jogador Barco, de apenas 18 anos, assumiu a responsabilidade e não decepcionou, cobrou com categoria, deslocando a grata surpresa no gol do Flamengo o jovem, também “prata da casa” Cesar, que tem feito grandes partidas com a camisa do Flamengo. No segundo tempo, o técnico do rubro negro, colocou em campo outra joia do time, o garoto Vinicius Junior, atacante insinuante, surgido nas categorias de base do próprio Flamengo e, já vendido, por uma fábula ao Real Madrid da Espanha. Mais presente no ataque, o Flamengo se expunha aos contra ataques do “Rei de Copas”, o time argentino, levava perigo, o atacante Gigliotti, teve uma chance de ouro, para virar o jogo e por pouco não fez um golaço, evitado em cima da linha por Juan.

O Flamengo continuou martelando, mais contudo, sem ameaçar com perigo o gol de Campaña, que fazia muita “cera” para recomeçar o jogo. Gigliotti tentou ainda um gol antológico no Maracanã, chutou de antes da linha do meio campo, obrigando Cesar a fazer uma grande defesa. Aos 47 o Flamengo teve a última chance nos pés de Rever, que desperdiçou, chutando pra fora, causando mais um “Maracanazo”, frustrando mais de 60 mil presentes e milhões pais afora, vítimas das brincadeiras e zoações, sobre o “cherinho”.

por Jorge Pacheco

Comentários comentar agora ❯