15 Abril 2019 - 11:36

Em Ouro Preto, secretário visita museu e igreja em obras

Divulgação

Após inauguração de centro cultural em BH, o secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, e a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa, seguiram viagem, neste sábado (13/4), para as cidades históricas mineiras de Ouro Preto e Mariana. A primeira parada foi na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias, em Ouro Preto. Acompanharam o diretor do departamento de Projetos Especiais do Iphan, Robson de Almeida e a superintendente do instituto em Minas Gerais, Celia Corsino.

Com investimentos de cerca R$ 4 milhões, a etapa de obra civil do templo já foi concluída em agosto de 2017. No entanto, está em andamento, no momento, a etapa de restauração dos elementos artísticos e integrados, com valor de R$ 3,6 milhões, iniciada em janeiro deste ano. Os recursos são provenientes do governo federal, por meio do Iphan, entidade vinculada ao Ministério da Cidadania.

Situada na Praça Antônio Dias, a construção da igreja começou em 1707 e suas obras se prolongaram até a segunda metade do século XVIII. Neste trabalho estava envolvido o arquiteto, carpinteiro e mestre de obras português, Manuel Francisco Lisboa, pai de Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho, renomado escultor brasileiro. Nela estão enterrados os restos mortais dos dois.

Em sua antiga sacristia estava instalado o Museu Aleijadinho, que fora desmontado ainda durante a primeira etapa das obras de restauração e será reformulado depois da conclusão desta segunda etapa. O acervo é formado por inúmeras obras do mestre Aleijadinho, como a imagem de São Francisco de Paula e um Cristo crucificado.

Museu Boulieu
O antigo Asilo São Vicente de Paulo irá abrir o Museu Boulieu – Caminhos da Fé, que ficará sob a gestão da Prefeitura Municipal de Ouro Preto e do Instituto Cultural Brasileiro do Divino Espírito Santo (ICBDES). O imóvel – cedido pela Prefeitura – fica ao lado do Paço da Misericórdia – Centro de Artes e Fazeres, no antigo prédio da Santa Casa da Misericórdia.

Iniciada em julho do ano passado, a obra conta com o apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, que permitiu a captação de cerca de R$ 6,7 milhões de patrocínio da empresa Vale. “É muito importante acompanhar a recuperação desses dois prédios que poderão formar o maior museu barroco, aqui na entrada da cidade”, afirma o secretário especial da Cultura, Henrique Pires.

Esse novo espaço das artes irá abrigar objetos de fé de habitantes de diferentes países das várias partes do mundo, adquiridos ao longo de 50 anos pelo casal franco-brasileiro Maria Helena Boulieu e Jacques Boulieu. O acervo é composto por mais de 1,2 mil peças, entre pinturas e esculturas produzidas dentro e fora do Brasil, incluindo países como Colômbia, Equador, Filipinas, Guatemala, Índia, Peru, Portugal e México.

A saga por objetos de fé pelo casal começou no início de 1960, e, em 2014, decidiram doar todas as peças à Arquidiocese de Mariana. Desde então, estão sob a guarda e gestão do ICBDES. “Além de um espaço de mostra, teremos também um espaço de estudo, de aprendizagem de restauração que vai ser, sem dúvida, um fator de reconversão econômica da região,” completa Pires.

Mariana
De lá, a equipe do Ministério da Cidadania seguiu para Mariana, onde visitou igrejas com obras financiadas pelo PAC Cidades Históricas. A comitiva anunciou, dentro da Igreja de Camargos, os investimentos na Igreja de São Francsico e da Casa do Conde da cidade, que fica anexa à igreja e que abrigará o futuro Museu de Mariana.

A equipe do Ministério da Cidadania foi recebido pela banda de São Sebastião, que se instalou em frente à igreja de Camargos. A assinatura do investimento foi realizada em um ato dentro da igreja, com a presença de autoridades e a população.

por Assessoria

Comentários comentar agora ❯