02 Março 2010 - 08:18

Governo de Alagoas e Sebrae planejam ações para o artesanato

Divulgação

O Governo de Alagoas e o Sebrae discutiram nesta segunda-feira (1º) mais uma ação em parceria para promoção e melhorias da cadeia produtiva do artesanato. Serão duas prioridades para este ano de 2010: o início do processo de Indicação Geográfica das rendas Filé e Boa Noite e a implantação da Marca da Qualidade — Alagoas a Mão.

A Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Energia e Logística é a responsável, dentro do Governo do Estado, pelo Programa Brasileiro do Artesanato de Alagoas (PAB), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Para o secretário Luiz Otavio Gomes, o Governo do Estado tem o papel de orientar e coordenar essa cadeia produtiva com o objetivo de consolidar o artesanato de Alagoas como produto de qualidade, design diferenciado e com identidade cultural.

A diretora de Design e Artesanato da Sedec, Vania Amorim, disse que já iniciou a organização de documentos e informações sobre a criação da Indicação Geográfica para o Filé, produzido na região das lagoas — Marechal Deodoro, Pontal da Barra e Coqueiro Seco. Outra renda que será definida com Indicação Geográfica é o Boa Noite, bordado tradicional da comunidade da Ilha do Ferro, no município de Pão de Açúcar.

De acordo com o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), a Indicação Geográfica pode ser conceituada “como a identificação de um produto ou serviço como originário de um local, região ou país, quando determinada reputação, característica e qualidade possam ser vinculadas essencialmente a esta sua origem particular”.

Outra ação será a implantação da Marca da Qualidade — Alagoas a Mão, uma espécie de selo que identificará os produtos selecionados após uma rígida triagem realizada por uma comissão independente. “Os artesãos já estão atentos quanto ao processo de identificação dos produtos que receberão a Marca da Qualidade, produzindo com maior cuidado; a Marca da Qualidade é um incentivo para a produção de peças de qualidade”, disse Vania Amorim.

O superintendente do Sebrae Alagoas, Marcos Vieira, explicou que o Sebrae Alagoas continuará realizando as ações nas 22 associações e cooperativas, atendendo o total de 600 artesãos. “Queremos que o artesanato de Alagoas se torne referência internacional e nacional e que tenha a cara da nossa cultura”, acrescentou Marcos Vieira.

A diretora do Sebrae Alagoas, Renata Fonseca, também destacou as ações executadas pela instituição no Estado de Alagoas, onde os projetos estão concentrados nas áreas de design, comercialização e gestão das associações e cooperativas. “O Sebrae e parceiros realizam ações em busca da melhoria do nosso artesanato, dando valor agregado”, disse Fonseca.

Eventos

No início do ano foi realizado o maior evento do setor, a Artnor, promovido pelo Sebrae Alagoas, que expôs o artesanato referência do Estado de Alagoas, onde o público teve contato com produtos originais da terra.

Dentre os eventos de grande alcance para o setor, a coordenadora do PAB Alagoas, Sônia Normande, explicou que aguarda a manifestação do Ministério do Turismo sobre a realização do Salão do Turismo, no período de 26 a 30 de maio, em São Paulo. “É uma das melhores feiras do país, pois é uma grande divulgação do potencial turístico de Alagoas e do artesanato. O Ministério do Turismo todo ano reserva o espaço, chamado de Vitrine Brasil, para exposição e comercialização do artesanato de todos os estados brasileiros, e o filé de Alagoas vende muito”, disse Sônia Normande sobre o evento.

por Agência Alagoas

Comentários comentar agora ❯