15 Maio 2010 - 19:48

Hospital confunde paciente e família prepara velório do "morto-vivo"

Um fato curioso e lamentável aconteceu na cidade de Aracaju, capital sergipana, neste sábado (15), quando os familiares de Raimundo Martins Nascimento, 68 anos, que estava internado no Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), receberam a notícia da morte do aposentado. Comovidos pela perda do ente querido, os familiares passaram a providenciar o velório do corpo, tomando também as providências cabíveis para o sepultamento que seria realizado neste domingo, 16 de maio.

Após terem efetuado a compra do caixão e reservarem o local para velar o corpo, eis que uma nova informação chega do hospital, dando conta de que houve uma troca no nome dos pacientes e, por um conflito nas informações a família comunicada sobre a morte do paciente foi trocada.

O fato só foi descoberto quando o sobrinho do “morto-vivo”, identificado por Anderson Oliveira se deslocou até o necrotério do hospital para fazer o reconhecimento do corpo. Ao chegar no local, a surpresa foi grande e a certeza de que aquele corpo não era do seu tio foi relatada aos responsáveis pela troca da informação. Logo, um filho de Raimundo também chegou ao necrotério e confirmou que o corpo não era de seu pai.

A família do paciente, mesmo aliviada, reclama da falta de respeito com os pacientes, relatando que uma confusão dessas nas informações é uma prova  de falta de profissionalismo. O paciente “morto-vivo” Raimundo Nascimento continua internado no HUSE em observação médica.

A assessoria do Hospital de Urgência de Sergipe informou que a família tem o direito de ser ressarcida por qualquer prejuízo que tenha sofrido.

 

por Rafael Medeiros

Comentários comentar agora ❯