04 Maio 2017 - 18:42

Príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth II, deixará a vida pública

O príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth II, deixará de participar de compromissos oficiais a partir de setembro, enquanto a rainha continuará com suas atividades normalmente, segundo informações divulgadas hoje pelo Palácio de Buckingham. As informações são da Agência EFE.

O príncipe Philip, 95 anos, que tem o título de Duque de Edimburgo, cumprirá seus compromissos até o final de agosto, quando deixará de aceitar convites, embora a nota diga que: "pode ser que [ele] decida participar de determinados eventos públicos de vez em quando".

O comunicado diz ainda que foi o próprio Duque de Edimburgo quem tomou a decisão, com "pleno apoio" de Elizabeth II – que em abril completou 91 anos.

O duque de Edimburgo é patrono, presidente e membro de mais de 780 organizações, com as quais "continuará associado", embora não vá mais desempenhar "um papel ativo".

A rainha Elizabeth II "continuará participando normalmente dos eventos oficiais ao lado dos outros membros da Família Real", diz o comunicado.

Reunião

Uma reunião convocada pelo Palácio de Buckingham foi precedida por inúmeras especulações nas redes sociais, depois que o jornal britânico The Daily Mail publicou hoje que os secretários da rainha tinham convocado toda equipe que trabalha para a família real para fazer um anúncio.

As reuniões com funcionários do palácio são habituais, mas desta vez, sua convocação logo no início do dia provocou os boatos.

De acordo com o jornal, participaram do encontro os representantes do Castelo de Balmoral, na Escócia, do Castelo de Windsor, nos arredores de Londres, e da mansão de Sandringham, no condado de Norfolk.

Elizabeth II, que em fevereiro completou 65 anos no trono, acaba de retornar para Buckingham, sua residência oficial em Londres, após passar a Semana Santa em Windsor.

Tanto a rainha, como o duque, tiveram problemas de saúde no último Natal, quando um forte resfriado impediu que eles participassem de vários eventos natalinos.

por Agência Brasil

Comentários comentar agora ❯