18 Setembro 2009 - 07:44

Rubim recebe diretoria do Sindjornal

Assessoria

No final da tarde desta quinta-feira, 17, o secretário de Estado da Defesa Social, Paulo Rubim, recebeu em seu gabinete, o jornalista Roberto Baía, o repórter fotográfico Carlos Alberto de Oliveira, e representantes do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas (Sindjornal).

Durante a visita, os jornalistas falaram sobre o incidente ocorrido no último domingo (13), durante a partida entre o ASA e América Mineiro, pelo Campeonato Brasileiro da 3ª Divisão, na cidade de Arapiraca.

Enquanto a bola rolava no campo, os jornalistas que faziam a cobertura do jogo se envolveram em uma confusão com alguns dirigentes da Federação Alagoana de Futebol (FAF).

Segundo os jornalistas, o presidente da FAF, Gustavo Feijó, mais David Holanda, representante da Federação e delegado da partida; além de Júnior Beltrão, também ligado a Federação, entraram em discussão com os comunicadores, e em seguida, acionaram a guarnição do Pelopes, que fazia a segurança do jogo para retirá-los de dentro do campo.

Os jornalistas afirmaram que houve um grande tumulto e que chegaram a entrar em vias de fatos com os dirigentes. Eles falaram ainda para o secretário Paulo Rubim, que durante a confusão, a equipe do Pelopes tentando separar a briga e retirá-los do campo, usou de força e truculência. Os jornalistas pedem providência a respeito do caso.

De acordo com Baía, durante a briga teve a sua camisa rasgada, foi empurrado violentamente para fora do campo, o que lhe rendeu vários hematomas pelo corpo. Já o repórter fotográfico, sofreu um ferimento no braço, ocasionado por uma “chave de braço” de um dos policiais. “Estou sentindo forte dores, mas não sei se foi uma fratura, estou aguardando o laudo médico” afirmou Oliveira.

O subcomandante do 3º BPM, capitão Wanderley dos Santos, que estava no momento da confusão, informou em entrevista local, que a PM em nenhum momento usou de força desproporcional para enquadrar todos agressores. E que todos os procedimentos foram tomados, os envolvidos foram levados para a Delegacia Regional de Arapiraca e os feridos para o Instituto Médico Legal para fazer exames periciais.

“Eles entraram em vias de fato a poucos metros da nossa guarnição e nós fizemos o trabalho de conter e conduzí-los à Delegacia Regional de Arapiraca. Nenhum policial agiu com excesso e as únicas lesões sofridas foram causadas entre eles”, relatou o capitão.

Após ouvir as denúncias, Paulo Rubim comprometeu-se em apurar os fatos, e solicitou dos denunciantes o encaminhamento dos documentos e do relatório que será feito pelo Sindjornal. “Além do inquérito instaurado na delegacia de Arapiraca, que irá apurar, os crimes de lesão corporal sofridos pelos denunciantes, encaminharemos o material para a nossa Ouvidoria e para a Corregedoria Militar para que todos os fatos sejam apurados corretamentes e que se haja culpados eles sejam condenados”, afirmou Rubim.

Presente ao encontro, o jornalista Flávio Miguel de Oliveira Peixoto, vice-presidente do Sindjornal, lembrou ao secretário outras ações, onde o uso da força em excesso, contra os jornalistas também havia acontecido. “A preocupação do sindicato é que nenhuma atitude seja tomada em relação aos fatos”, disse o sindicalista.

“Iremos formar um grupo de estudo que construa um projeto de normas recomendadas para uma melhor atuação dos policiais durante as partidas de futebol em nosso Estado. Apenas lembro que dentro da minha equipe não há controle externo, e que temos o compromisso firmado de trabalhar para o povo, dentro do que determina a lei, dentro e fora do campo”, concluiu Rubim.

por Agência Alagoas

Comentários comentar agora ❯