17 Novembro 2009 - 11:44

Projeto Rondon integrará ações para reduzir mortalidade infantil

A partir de janeiro de 2010, Alagoas será contemplada com ações do Projeto Rondon, que integrará ações para reduzir a mortalidade infantil. O anuncio foi feito nesta segunda-feira (16), durante reunião na sede do 59º Batalhão de Infantaria Motorizado, em Maceió, e contará com a participação de 400 universitários de diversos estados na Operação Centro-Nordeste. O evento reuniu os secretários de Estado do Planejamento, Sérgio Moreira e da Saúde, Herbert Motta.

Durante a apresentação das atividades a serem realizadas, o secretário de Estado da Saúde, Herbert Motta, destacou que os universitários irão desenvolver atividades em 20 municípios. Elas irão se concentrar nas áreas de promoção à cidadania e melhoria do bem-estar social, capacitação da gestão pública e da promoção do desenvolvimento local sustentável.

“Além de investimentos pontuais que o governo do Estado vem realizando, a Sesau (Secretaria de Estado da Saúde) passa a contar, agora, com o trabalho dos universitários do Projeto Rondon. Eles irão primar pela informação, que é imprescindível para combater essa mácula da mortalidade infantil, evitando que crianças com idade entre zero a um ano de vida venham a morrer prematuramente”, salientou Herbert Motta, que também foi acompanhado do comandante do 59º Batalhão de Infantaria Motorizado, coronel Pinto Sampaio.

De acordo Motta, muitas mães desconhecem a importância da amamentação como ponto crucial para evitar a morte de recém-nascidos. Em Alagoas, serão contemplados com as ações dos universitários os municípios de Anadia, Atalaia, Boca da Mata, Branquinha, Campo Alegre, Capela, Chã Preta, Coité do Nóia, Estrela de Alagoas, Ibateguara, Mar Vermelho, Maravilha, Murici, Novo Lino, Ouro Branco, Porto Real do Colégio, Santana do Mundaú, São José da Tapera, Senador Rui Palmeira e Taquarana.

O projeto Rondon - Criado em 11 de julho de 1967, o Projeto Rondon contribuiu para formação de milhares de universitários até 1989, quando foi suspenso. O governo federal decidiu relançar em 2005, levando até agora mais de 7.500 rondonistas a cerca de 500 municípios.

O projeto é desenvolvido pelo governo federal e coordenado pelo Ministério da Defesa Social. Este ano, foram contemplados com a ação os estados da Bahia, Goiás e Tocantins. Segundo o comandante Pinto Sampaio, a iniciativa além de oferecer serviços voluntários, é uma oportunidade para os universitários conhecerem a realidade de outros estados brasileiros.

por Ascom Sesau

Comentários comentar agora ❯