17 Julho 2017 - 17:50

Delegacia Sindical discute como manter serviços da Superintendência Regional do Trabalho

Auditoria Fiscal do Trabalho
Prédio da superintendência foi interditado no último dia 11

A presidente da Delegacia Sindical dos auditores-fiscais do Trabalho, Martha Fonseca, reuniu a categoria, representantes do Sindiprev e servidores da Superintendência Regional do Trabalho de Alagoas, para discutir as medidas a serem tomadas após a interdição do prédio da superintendência, no último dia 11.

Na oportunidade, a categoria colocou a preocupação com o tempo dispendido até que se encontre uma nova instalação para o pleno funcionamento dos serviços prestados à população e para o deslocamento dos servidores até as empresas reduzindo o número estabelecimentos atendidos e o alcance das metas estabelecidas pela Secretaria de Inspeção do Trabalho.

“Seremos penalizados por uma ação pela qual não concorremos. Ao contrário, sempre denunciamos as condições precárias e subumanas de trabalho que os auditores eram impostos diariamente no prédio onde funcionava a SRTE. Essa interdição irá dificultar o alcance das metas, por isso solicitamos que o SINAIT mantenha contato com a Secretaria de Inspeção para que reveja as orientações dadas às chefias quanto à compensação dos dias paralisados”, informou Martha Fonseca.

Desde que o prédio foi interditado, há uma preocupação dos auditores em conseguir outro espaço de trabalho. Um dos pontos que podem ser negociados e que já foi informado ao Sinait é o prédio Walmap, que dispõe de 22 salas, dependendo apenas ser negociado pela Secretaria do Patrimônio da União para funcionamento temporário, assim como a retomada da negociação do aluguel de um prédio em Jaraguá mas, para isso, precisariam que fossem disponibilizados recursos pelo Ministério do Trabalho, segundo foi colocado pelos auditores.
 

por Auditoria Fiscal do Trabalho

Comentários comentar agora ❯