14 Novembro 2017 - 10:27

Estudantes da rede pública recebem premiações em concurso de redação

Valdir Rocha
Daniel Camilo da Silva, estudante da rede estadual, foi o primeiro colocado no concurso de redação

Estudantes das redes estadual e municipal de Maceió receberam, nesta segunda-feira (13), premiações durante a culminância do concurso de redação da Escola Superior da Magistratura do Estado de Alagoas (Esmal). A iniciativa é das ações do Programa Cidadania e Justiça na Escola (PCJE).

Os autores das melhores redações, que teve como tema ‘Como podemos transformar a cultura de violência em cultura de paz?’, ganharam kits escolares e os quatro primeiros colocados de cada rede, além dos dois professores dos estudantes da melhor redação, ganharam um tablet.

De acordo com a superintendente de rede da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Maridalva Campos, a parceria entre o Poder Judiciário e as escolas é de extrema importância para os alunos das unidades públicas.

“A parceria entre o Judiciário e a Educação é uma via de mão dupla, onde existe o compartilhamento de experiências. A Justiça sempre é vista como um órgão que pune e aplica penas, mas quando o aluno passa a conhecer melhor, vê que a realidade é bem diferente. Trabalhar a justiça social é um dos principais pilares da Educação”, conta Maridalva.

O juiz e coordenador de projetos especiais da Esmal, Anderson Passos, reafirma o compromisso do órgão judiciário em incentivar a leitura dos jovens. De acordo com ele, 9.500 estudantes foram beneficiados pelo PCJE em 2017.

“O programa é o primeiro passo para a leitura e pode despertar vários interesses nos alunos, como para a literatura, por exemplo. O objetivo principal é manter o contato com a comunidade para garantir os direitos e deveres. Acreditamos que, assim, eles se tornem cidadãos mais conscientes”, explica Passos.

Além da premiação, estudantes das escolas estaduais Professor Eduardo da Mota Trigueiros e Princesa Isabel, ambas de Maceió, realizaram intervenções artísticas e culturais.

Premiados

Os três primeiros colocados da rede estadual receberam um tablet. Foram eles: Daniel Camilo da Silva (1º lugar), da Escola Estadual Edmilson de Vasconcelos Pontes; Lucas Alexandre da Silva (2º lugar), da Escola Estadual Teotônio Vilela; e Esthefanny Luana Pereira da Silva (3º lugar), da Escola Estadual Professor Mota Trigueiros.

“Escolhi participar porque acredito que o mundo evoluiu tanto que não há mais motivos para tolerarmos vários tipos de violência, como o machismo. Estou muito feliz em ser uma das primeiras colocadas”, conta Esthefanny Luana, que, além de receber o prêmio, realizou uma apresentação musical junto com os colegas de classe.

Para Lucas Alexandre, ter o trabalho reconhecido foi emocionante. Ele afirma que o concurso só reafirmou a necessidade de abordar um assunto extremamente significativo. “Sempre gostei de fazer redação e, assim que surgiu a oportunidade, me inscrevi. Um assunto como esse é muito importante, não pode passar despercebido”, relata.

O primeiro colocado da rede estadual, Daniel Camilo da Silva, comemorou a colocação mais alta no pódio. Acompanhado da mãe Helena Maria da Conceição Silva, ele elogia a interação entre os órgãos públicos. “Acho muito importante essa interação entre os órgãos. O evento torna o aluno um verdadeiro protagonista. Gosto muito de escrever e, com a ajuda do meu professor, consegui o primeiro lugar”, conclui.

O docente que instruiu o estudante, Fernando Roberto Lima dos Santos, professor de Língua Portuguesa da Escola Edmilson Pontes, também ganhou um tablet.

por Agência Alagoas

Comentários comentar agora ❯