10 Outubro 2009 - 07:51

Projeto visa controlar suplementação de Vitamina A em Alagoas

Projeto Piloto do Sistema de Controle da Suplementação de Vitamina A, do Ministério da Saúde vai ser implantado em Maceió, Arapiraca, Igreja Nova e Campo Grande. Os municípios foram indicados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e vão servir de referência nacional.

Nesta sexta-feira (9), foi realizada pela coordenadora Nacional da Política de Alimentação e Nutrição, Edite Schulz, uma capacitação destinada aos municÍpios escolhidos. A iniciativa teve o objetivo de orientar os técnicos sobre a operacionalização do sistema, que irá funcionar pela internet.

Segundo Edite Schulz, por meio do novo sistema será possível conhecer quem são as crianças e gestantes alagoanas atendidas pelo Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A. Isso porque, atualmente, às doses de suplemento são ministradas sem a realização de um cadastro integrado, onde seja possível verificar se a beneficiada já participa de outros programas assistenciais, a exemplo do Bolsa Família e da suplementação de ferro.

“Atualmente, os técnicos municipais aplicam as doses de Vitamina A, mas não há um controle nacional e diagnóstico de como este trabalho ocorre e qual o perfil das crianças e gestantes assistidas. Mas com o novo sistema de controle das atividades referentes ao Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A, será possível realizar um diagnóstico das pessoas contempladas e para que haja um acompanhamento adequado”, afirmou.

O Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A é uma iniciativa do Ministério da Saúde, coordenado pelas secretarias estaduais de Saúde, que busca reduzir e controlar a deficiência nutricional de vitamina A nas crianças de 6 a 59 meses e mulheres no pós-parto, em regiões consideradas de risco, através da oferta do suplemento de vitamina A nas unidades básicas de saúde, postos e centros.

”Uma alimentação deficitária, na maioria das vezes, é responsável pela carência de Vitamina A, pois as mulheres não se alimentam corretamente durante os nove meses de gestação, continuando com esse comportamento após o parto, isso poderá acarretar problemas para o bebê”, ressaltou a gerente de Núcleo do Programa Saúde e Nutrição (GNPSN) da Sesau, Maria Amália de Alencar.

Segundo ela, o suplemento é ministrado em forma de cápsulas de 100,000 UI para bebês de 6 a 11 meses de vida e, de 200,000 UI, para os de 12 a 59 meses, podendo ser encontrado nas unidades de saúde da atenção básica e nas maternidades.

De acordo com informações do Ministério da Saúde, a Vitamina A reduz em 23% a mortalidade infantil e em 40% a mortalidade materna. Também reduz a gravidade das infecções, como a respiratória aguda e a diarréia, mantém a saúde da visão e é fundamental para o crescimento saudável das crianças.

Além do aleitamento materno e consumo de alimentos que contenham esse nutriente, a melhor forma de prevenção é a administração de doses maciças de Vitamina A (megadoses) em crianças e mulheres no pós-parto imediato nas unidades de saúde.

por Ascom Sesau-AL

Comentários comentar agora ❯