05 Novembro 2018 - 10:36

Escolas investem em iniciação científica e incentivam protagonismo juvenil

Valdir Rocha
Mais seis escolas municipais e estaduais da região expuseram projetos

Os investimentos em iniciação científica feitos pelo Governo de Alagoas vêm mudando a rotina das escolas e transformando a vida de docentes e estudantes da rede pública estadual, que contam hoje com laboratórios de ciências, matemática e robótica, com mais de 1/3 das unidades contempladas. Há, ainda, clubes de astronomia, além de espaços especializados e formações, um incentivo à aprendizagem a partir de práticas atrativas e eficazes.

Este cenário pôde ser visto na última semana durante a I Mostra Científica da Escola Estadual de Ensino Integral Edite Machado, em Capela. Com ações e projetos nas áreas de robótica, química, matemática, física e astronomia, o evento propiciou o estudo e aprendizado das ciências de forma prática e com muita diversão.

“A Mostra está bem recheada e com grande aceitação da comunidade escolar, que fez questão de comparecer, atendendo nossos intuitos: possibilitar a integração entre alunos, contatos com outros projetos e incentivar o interesse pela ciência, mostrando seu lado prático, dinâmico e presente no cotidiano deles”, explicou o professor Kaio Cesar, responsável pela organização do evento.

Projetos

Mais seis escolas municipais e estaduais da região expuseram projetos: Joaquim Diegues e Pedro Carnaúba, de Viçosa; Inaura Casado, de Cajueiro; Antonio Moreira, Abdom de Paula Gomes e Cícero Cabral Toledo, também de Capela; além do Centro de Ciências e Tecnologia (Cecite), com shows de física e matemática, e o Observatório Genial Leite Lima (OGLL), com o Planetário.

Dentre os projetos apresentados estavam a cancela controlada por nível de reservatório de matéria-prima, apresentada pelos estudantes da Edite Machado Danilo Melo e Henrique Alves, e a cola sustentável à base da casca de macaxeira, por Ewdja Awane e José Francisco, estes da Escola Estadual de Ensino Integral Joaquim Diégues.

“Antes tínhamos que seguir o manual para desenvolver os protótipos, mas hoje já pesquisamos, a exemplo deste, feito a partir de observações de maquinários da usina. Participamos do SBPC Jovem (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), na Ufal, e agora vamos para o Encontro Estudantil”, comemorou Danilo.

por Agência Alagoas

Comentários comentar agora ❯