02 Dezembro 2009 - 07:20

SindJus emite nota de repúdio contra declarações de Gilmar Mendes em Alagoas

NOTA DE REPÚDIO

Em nome da verdade
 

A presença do presidente do Supremo do Tribunal Superior, ministro Gilmar Ferreira Mendes, trouxe para a imprensa e a população uma visão deturpada, primeiro do papel que o ministro desempenha hoje à frente do Poder Judiciário, bem como em relação ao grande movimento nacional, deflagrado pelos servidores do Poder Judiciário Federal e do MPU, senão, vejamos:

Primeiro, é preciso destacar que o ministro Gilmar Ferreira Mendes disfarça em seu discurso: celeridade e efetividade na prestação jurisdicional a silenciosa construção de um judiciário absolutamente incessível aos dramas sociais e a democratização do Poder Judiciário, além disso, não podemos esquecer de que, pelo menos em três ultimas decisões, o ministro Gilmar Mendes concedeu habeas corpus para o banqueiro Daniel Dantas, responsável por fraudar as privatizações e contribuir com os esquemas do ‘mensalão’, bem como por marginalizar e criminalizar os movimentos sociais no Brasil, além, é claro, de ter sido de sua lavra, a decisão que reconduziu os deputados estaduais alagoanos, iniciados na operação taturana da Polícia Federal às suas cadeiras na Assembléia Legislativa.

Por outro lado, o ministro mente quando diz que a greve dos servidores do Poder Judiciário Federal e do MPU é uma greve de servidores que ganham altos salários, pois estes altos salários que se referiu o ministro estão nos gabinetes, inclusive, no seu próprio, que não correspondem à realidade da imensa maioria dos servidores do Poder Judiciário Federal e do MPU (última revisão salarial - Lei 11.416/2006 – salário inicial: analista: 4.498,71, técnico: 2.662,06 e auxiliar: 1.325,46) que tem cada vez mais, buscado outros cargos fora do Poder Judiciário, o que é uma prova que esses servidores não ganham altos salários.

Por conta disso, nós servidores do Poder Judiciário Federal e do MPU viemos a público, por meio da presente nota, repudiar as falaciosas afirmações do presidente do STF, ministro Gilmar Ferreira Mendes, que tem um único objetivo desmoralizar esse grandioso movimento nacional, promovido em nome da valorização dos cargos do Poder Judiciário e do MPU, bem como contra o nepotismo, as terceirizações, pela manutenção da justiça do trabalho e pela construção de um Poder Judiciário democrático.

A coordenação do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal e do MPU em Alagoas - SINDJUS

por Assessoria

Comentários comentar agora ❯

  • Luiz ...judiciário incessivel ????? É triste ler textos assim, escritos por quem representa classes tão diferenciadas.