A- A+
Enviar Imprimir
 
INFORME PUBLICITÁRIO
26/03/2014 17:42

Áudio: Gestante e feto morrem em Coruripe e família responsabiliza hospital

Roberto Miranda - aquiacontece.com.br

Valmir de Souza: “Queremos um posicionamento da Justiça e da direção do Hospital Carvalho Hospital Carvalho Beltrão”

O caso aconteceu no último sábado (22), na cidade de Coruripe. Mas, só ganhou à imprensa nesta quarta-feira (26). A gestante Claudejane de Souza Santos, 33 anos, conhecida por ‘Irmã Netinha’ deu entrada para dar à luz na Casa de Saúde e Maternidade de Coruripe, pertencente ao Hospital Carvalho Beltrão, por volta das 17hrs e, acabou falecendo às 04hrs do domingo.

Os irmãos da vítima, Valmir de Souza Santos e Micheline Rossi Souza Santos, responsabilizam o hospital pela morte. E nesta quarta-feira (26), eles afirmaram durante entrevista ao Programa Lance Livre da Rádio Penedo FM (97,3 Mhz e www.penedofm.com.br), que não tinha anestesista durante o final de semana, o que dificultou a cesariana de Claudejane.

“Minha irmã morreu por falta de assistência médica. No hospital não tinha médico anestesista, especialista para dar assistência. As gestantes de Coruripe estão sofrendo. Minha irmã foi vítima do hospital”, desabafou o irmão Valmir de Souza.

A vítima deu entrada na unidade hospitalar por volta das 17hrs do sábado (22), caminhando e sorrindo. Porém, por falta de atendimento, faleceu na madrugada do domingo, por volta das 04hs.

“Minha irmã chegou ao hospital sorrindo, feliz, por dar à luz. Entrou caminhando normalmente e sozinha. Quando chegamos foi dito que não era permitido o acesso ao hospital com celular, nem podia ficar ligando para saber como ela estava. Achei estranho. Perguntaram pelos exames, como ela estava. Em seguida, assinou e entrou para o quarto. Ficamos esperando e sempre alguém da família procurava saber se o bebê já tinha nascido. Diziam que ainda não. Meu cunhado foi para casa e por volta das 03hrs, ligaram comunicando que ela teve complicações no parto”, detalhou Micheline Rossi.

Facebook

Ainda segundo a irmã de Claudejane, o hospital não falou qual à complicação que ela teve durante o parto

Ainda segundo a irmã de Claudejane de Souza, o hospital não falou qual foi à complicação que ele teve durante o parto.

“Quando disseram que ele estava mal, sugerimos a sua transferência para Maceió com o apoio do helicóptero do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Mas, segundo o hospital, o serviço não funcionava de noite. Então, ela acabou falecendo na Casa de Saúde e Maternidade de Coruripe, pertencente ao Hospital Carvalho Beltrão. A única coisa que nos falaram até hoje, foi que minha irmã teve duas paradas cardíacas, e eles não puderam fazer nada”, acrescentou.

Em pleno século 21

No instituto Médico Legal (IML), a médica legista que atendeu o caso disse que o bebê teria que nascer por cesária.

“A médica disse que o meu sobrinho não tinha condições de nascer por parto normal. A criança tinha 55 centímetros e pesava quatro quilos, não tinha condições. A médica estava indignada ao ver as duas mortes, falou que em pleno século 21, isso era inconcebível”, observou Micheline Rossi.

“Perdemos uma irmã. Sua filha perdeu uma grande mãe. Seu esposo perdeu uma maravilhosa esposa. A comunidade religiosa perdeu um membro dedicado. Todos estão indignados. A cidade de Coruripe está indignada. Queremos um posicionamento da Justiça e da direção do Hospital Carvalho Beltrão”, bravejou Valmir de Souza Santos, irmão da vítima Claudijane de Souza Santos, 33 anos.

O outro lado

A nossa redação entrou em contato com a direção do Hospital Carvalho Beltrão. Relatamos um assunto e a atendente garantiu que iria levar o assunto até o diretor e que o mais rápido retornaria à ligação. Fato que até o fechamento desta matéria, não ocorreu. 

por Roberto Miranda

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do aquiacontece.com.br ou de seus colaboradores. Dê sua opinião com responsabilidade! Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

  • denunciar Denunciar Ana Rita em 26/03/2014 19:07

    Esse hospital precisa ser supervisionado novamente. É uma nojeira. As formigas passeiam durante à noite que é uma beleza. A paciente que entrar pega infecção hospitalar. Agem com rigidez p/ umas coisas e para outras liberam geral. Um descaso. As autoridades competentes precisam tomar providências.

  • denunciar Denunciar VITIMA em 26/03/2014 20:41

    EU FUI UMA DAS PESSOAS Q TBM PASSEI POR UM MOMENTO DE AGONIA DEI ENTRADA NA MADRUGADA DE SEXTA PERDENDO LÍQUIDO. SOFRI O DIA INTEIRO E NA MADRUGADA DE SÁBADO GANHEI MEU FILHO PELA OBRA DIVINA COM PESSOAS ACIMA DE MINHA BARRIGA FORÇANDO E QUEM FEZ O PARTO FOI UMA PARTEIRA E O ACOMPANHAMENTO

  • denunciar Denunciar VITIMA - RESTO DO ASSUNTO em 26/03/2014 20:44

    FOI DE UM MÉDICO Q DIZIA SER MÉDICO E DEPOIS DESCOBRI Q ERA ACADÊMICO. NA HORA DE FAZER A SUTURA A ENFERMEIRA PEDIU PARA O ACADÊMICO E ELE FALOU Q NÃO SABIA POIS NUNCA TINHA FEITO EM GESTANTE E SEGUNDO ELE ERA MÉDICO DE UTI. É UM ABSURDO POIS NEM DEIXAM LEVAR CELULAR. VAMOS PEDIR JUSTIÇA...

  • denunciar Denunciar Bruno mendes em 26/03/2014 21:19

    Gente é alarmante o descaso deste hosptal, o pessoal aqui de Feliz Deserto tem pavôr quando é encaminhado para lá, aqui é citado como "MATADOURO", lá é o hospital de referencia do nosso municipio, infelizmente, de cada cinco entrada de pacientes lá vem um envelopado. socorro ministério publico.

  • denunciar Denunciar Alberto Souza em 26/03/2014 21:27

    E no minimo intrigante essa história, primeiro,por que a UPA foi instalada anexada a esse hospital,que é de propiedade do Sr chicão ex deputado estadual?,2° O que os policiais militar estão fazendo trabalhando nesse local que é de propiedade privada, e ainda indo a casa dos familiares levar recado?

  • denunciar Denunciar Horlando em 26/03/2014 21:33

    L Sr. chicão tem que sér convocado a depôr, esses militares que não poderiam está fazendo esse tipo de serviço, recebem seus soldos as nossas custas.O que eles estavam fazendo no hosp.e o ministerio publico tá fazendo o que, que não faz nada em relação a isso?

  • denunciar Denunciar Adelmo em 26/03/2014 21:37

    MATADOURO... É ISSO QUE AQUELA JOSSA QUE CHAMAM DE HOSPITAL É. só sabe quem precisa da quela nogeira, mande o Sr joaquim beltrão e se consultar lá pra ver se ele vai? Vergonha,vergonha.

  • denunciar Denunciar Coruripense em 27/03/2014 07:38

    É revoltante mais não é o primeiro caso que pacientes morre por falta de assistência médica nesse hospital é lamentável que nenhum órgão público venha tomar devidas providência creio que se fosse um familiar do médico de plantão isso não teria acontecido. Que Deus conforte a família. JUSTIÇA

  • denunciar Denunciar maria em 27/03/2014 07:39

    NOJO. Começando pelos donos que nao respeitam nem os funcionarios, que praticamente sao escravizados. pessoas que trabalham sem proteçao nenhuma, colocando em risco suas vidas. e nao é a primeira vez que isso acontece la nao. lembro como hoje do caso do rapaz que morreu la por falta de atendimento.

  • denunciar Denunciar Mauro Jorge em 27/03/2014 08:17

    Isso que tem ai em Coruripe-AL, não pode ser chamado de Hospital e sim de "Matadouro" onde o serviço de atendimento médico é o pior possível, tratam as pessoas como animais e o poder público não faz nada, cidade que tem dono. Revoltante ... E o que vai acontecer "NADA" cidade que tem dono ...

  • denunciar Denunciar maria em 27/03/2014 21:56

    Só não morri de parto nesta maternidade por que entrei com o celular escondido foi onde meu marido agiu em tempo,a medica que tava no sábado não queria fazer meu parto por eu ser paciente de outro medico e a minha gravidez era de risco.Dei entrada 1:40hs e vim ganha as 14:40hs do sábado

  • denunciar Denunciar fernanda em 27/03/2014 22:25

    Já eu não acho nada disso , o hospital esta muito bem , e esse negocio de ter formiga ou da infecção e muiito da mentira . Quando tem uma noticia , ai as pessoas não todas mas algumas começa a meter pau nas coisas que nem sabe o que acontece e o que vê , fala serio né ... eles atendem muito bem .

  • denunciar Denunciar Todos sabem em 28/03/2014 10:04

    Mas,a culpa é do Governo Federal,que entrega na mão de um "Muito Sabido",uma UPA,que tem o dever de funcionar 24 horas com todos equipamentos e corpo médico necessário pra salvar vidas,no entanto, continua faltando como antes, medicamentos,cirurgião e anestesistas. E ele cada vez mais rico.

  • denunciar Denunciar botelho em 18/04/2014 16:18

    É cadê o prefeito de Coruripe que nâo está vendo esses erros todos.E por isso que as mulheres de Coruripe, gostam das maternidades de Maceió. Prefeito é como se fosse, técnico de time futebol. não tá indo bem no campeonato troca-se.